Fundada em 1978 por um pequeno grupo de cientistas visionários, a Biogen foi pioneira na indústria de biotecnologia. Hoje, somos uma das mais antigas empresas de biotecnologia independentes no mundo.

Durante cerca de quatro décadas, centenas de milhares de pessoas em todo o mundo que vivem com doenças graves beneficiaram dos importantes e inovadores medicamentos desenvolvidos pela equipa da Biogen. Estamos orgulhosos do papel que temos desempenhado nos avanços da biotecnologia, no apoio dado aos doentes e no desenvolvimento da ciência e da investigação de ponta, enquanto procuramos desafios cada vez mais complexos.

1978
  • Um grupo de cientistas talentosos e três investidores de capital de risco juntam-se em Genebra, na Suíça, para estabelecer a Biogen NV, uma empresa farmacêutica com ênfase na investigação em biologia
1979
  • O médico cientista da Biogen, Dr. Charles Weissmann, anuncia que conseguiu clonar com sucesso o interferão (alfa) de leucócitos humanos biologicamente ativos. A Biogen concede uma licença mundial à Schering-Plough para o interferão alfa.
  • O cientista da Biogen, Prof. Kenneth Murray, sintetiza uma vacina a partir de antigénios das proteínas do vírus da hepatite B.
1980
  • O fundador da Biogen, Prof. Walter Gilbert, ganha o Prémio Nobel em Química pelo seu trabalho na sequenciação do ADN.
1982
  • A empresa decide expandir-se, incluindo a construção da nova sede, em Cambridge, Massachusetts..
1983
  • A Biogen torna-se uma empresa com capital no NASDAQ após a conclusão da sua oferta pública inicial em bolsa.
1985
  • Investidores de capital de risco de Silicon Valley juntam-se a investigadores para estabelecer a IDEC Pharmaceuticals em São Francisco, Califórnia. O objetivo é desenvolver e comercializar anticorpos monoclonais
1986
  • Com a aprovação da United States Food and Drug Administration, FDA, a Schering-Plough inicia a comercialização do primeiro produto desenvolvido pela Biogen, o interferão alfa-2b. Trata-se de um tratamento para a leucemia.
  • A Biogen estabelece sua primeira fábrica.
1988
  • A Biogen apresenta o seu primeiro relatório de lucro trimestral enquanto empresa pública.
1989
  • A Biogen anuncia a aprovação pela FDA de uma vacina recombinante contra o vírus da hepatite B da SmithKline Beecham (hoje GlaxoSmithKline). A vacina usava tecnologia licenciada pela Biogen.
1991
  • A IDEC submete a sua oferta pública inicial para se tornar uma empresa listada no NASDAQ.
1993
  • O co-fundador da Biogen, Dr. Phillip Sharp, recebe o Prémio Nobel da Medicina pela sua descoberta dos genes split
  • Dr. Murray é nomeado Sir pela sua pela sua descoberta dos antigénios do vírus da hepatite B.
1995
  • A Biogen expande-se para o Research Triangle Park, na Carolina do Norte.
1996
  • A Biogen anuncia a aprovação pela FDA de uma terapêutica com interferão beta-1a para o tratamento de formas recidivantes de esclerose múltipla (EM). Essa terapêutica é aprovada na União Europeia um ano mais tarde. 
1997
  • A FDA aprova o rituximab da IDEC para certos tipos de linfoma não Hodgkin de células B. É a primeira terapêutica com anticorpos monoclonais a ser aprovada para um tipo de cancro. A FDA aprova ainda essa terapêutica para o tratamento de artrite reumatóide, granulomatose com poliangiite (granulomatose de Wegener), poliangiite microscópica e leucemia linfocítica crónica. 
2000
  • A Biogen cria o programa MS ActiveSource®, um serviço de apoio a doentes com esclerose múltipla e seus familiares.
2002
  • A Biogen abre a sua fábrica de grande escala, com capacidade de 90.000, litros em Research Triangle Park, Carolina do Norte. 
  • A empresa abre o seu primeiro Laboratório Comunitário em Cambridge, que atua no ensino prático em ciências e disponibiliza informação sobre carreiras científicas para estudantes do ensino secundário da região.
2003
  • A Biogen inicia a construção de uma nova fábrica na Dinamarca.
  • A Biogen e a Idec fundem-se, criando a Biogen Idec (NASDAQ:BIIB)
2004
  • A FDA aprova o natalizumab, uma monoterapia para o tratamento de doentes com formas recidivantes de esclerose múltipla. 
  • A Biogen Idec abre uma nova sede internacional em Zug, Suíça.
  • Inauguração da filial em Portugal, sediada em Lisboa.
2005
  • A Biogen Idec e a Elan Pharmaceuticals retiram voluntariamente o natalizumab do mercado após o aparecimento de um caso confirmado e um caso suspeito de um acontecimento adverso grave denominado leucoencefalopatia multifocal progressiva (LMP), uma infeção pouco frequente, mas grave, que pode ser fatal ou provocar incapacidade grave.
2006
  • Após minuciosa reavaliação do natalizumab pela Biogen Idec e análise por um conselho consultivo da FDA, esta última aprova novamente a comercialização do medicamento e a terapêutica é reintroduzida nos Estados Unidos e lançada na União Europeia com um alerta para a LMP. 
  • A Biogen Idec adquire a Fumapharm AG, empresa europeia que desenvolveu a tecnologia que levaria à aprovação do fumarato de dimetilo, uma terapêutica oral com indicação para para formas recidivantes de esclerose múltipla. 
2007
  • A Biogen Idec adquire a Syntonix Pharmaceuticals, que desenvolve duas terapêuticas para o tratamento da hemofilia.
2009
  • A Biogen Idec receberá uma licença da Acorda Therapeutics para comercializar a fampridina fora dos Estados Unidos. Em 2011, a Biogen Idec receberá aprovação europeia para a fampridina, como tratamento para melhorar a marcha em doentes adultos com esclerose múltipla, com disfunções na marcha (EDSS 4-7).
  • A Fundação Biogen Idec anuncia o seu maior donativo até à data: $1 milhão em educação para a Ciência, para o North Carolina Biotechnology Center.
2010
  • A Biogen Idec aperfeiçoa a sua estratégia de negócio ao focar-se em novas terapêuticas nas áreas da neurologia, imunologia e hemofilia. 
  • A FDA aprova o rituximab associado à quimioterapia para o tratamento da leucemia linfocítica crónica. 
  • A empresa entra num acordo de licenciamento com a Knopp Neurosciences, que coloca em cena o dexpramipexole, um composto que a empresa investiga para o tratamento de esclerose lateral amiotrófica (ELA). 
2011
  • A Biogen Idec estabelece acordos com a Portola Pharmaceuticals para uma terapêutica oral destinada a doenças autoimunes e com a Samsung Biologics para biossimilares formando uma joint venture hoje denominada Samsung Bioepis.
  • É lançado o Care Deeply Volunteer Day. Neste dia, milhares de colaboradores da Biogen Idec em todo o mundo desenvolvem atividades de voluntariado junto das suas comunidades. 
2012
  • A Biogen Idec ajuda a criar um novo consórcio de investigação para identificar novas abordagens para o tratamento de esclerose lateral amiotrófica (ELA).
  • A Biogen Idec anuncia uma colaboração com a Isis Pharmaceuticals para identificar novas abordagens para o tratamento de atrofia muscular espinhal (AME), distrofia miotónica tipo 1 e distúrbios neurológicos/neuromusculares.
  • A empresa adquire a Stromedix, uma empresa de biotecnologia focada em terapêuticas inovadoras para a fibrose e a falência de órgãos.
2013
  • A Biogen Idec anunca resultados decionantes do ensaio de Fase III do dexpramipexole, que se econtrava em estudo para o tratamento da esclerose lateral amiotrófica (ELA). O estudo revela que o dexpramipexole não atrasa a progressão da ELA
  • O fumarato de dimetilo, uma nova terapêutica oral para formas recidivantes de esclerose múltipla, é aprovado nos Estados Unidos, Canadá e Austrália. O fármaco seria aprovado na Europa um ano mais tarde.
  • A Biogen Idec conclui a aquisição de todos os direitos do natalizumab da Elan Pharmaceuticals International, Ltd., uma afiliada da Elan Corporation. 
  • A FDA aprova o obinutuzumab para a leucemia linfocítica crónica. A Biogen Idec colaborou com a Genentech, uma subsidiária da Roche Pharmaceuticals, para o desenvolvimento do obinutuzumab. 
  • A Biogen Idec muda a sua sede novamente para Cambridge, Massachusetts, após vários anos em Weston, Massachusetts.
  • Novas colaborações incluem acordos com a subsidiária BioFocus da Galapagos NV para o tratamento da esclerodermia, doença autoimune da pele, e com a Isis Pharmaceuticals para terapêuticas para doenças neurológicas.
2014
  • A FDA aprova o fator de coagulação IX (proteína de fusão Fc recombinante), para a hemofilia B e o fator anti-hemofílico (proteína de fusão Fc recombinante), para a hemofilia A, os primeiros avanços no tratamento dessas doenças.
  • O peginterferão beta-1a é aprovado pela FDA para o tratamento de formas recidivantes de esclerose múltipla (EM) e na União Europeia para a esclerose múltipla do tipo surto-remissão.
  • Em colaboração com a Sobi, a Biogen Idec anuncia que pretende doar mil milhões de unidades internacionais de fator coagulante para programas de apoio humanitário em países em desenvolvimento nos próximos anos.
  • A empresa finaliza os acordos de colaboração com a Sangamo BioSciences para tratamentos de hemoglobinopatias, bem como com a Eisai, para juntas desenvolverem e comercializarem tratamentos para a doença de Alzheimer.
2015
  • A empresa retoma o seu nome original: Biogen.
  • A Biogen adquire a Convergence Pharmaceuticals sediada no Reino Unido, uma empresa biofarmacêutica de desenvolvimento clínico, acrescentando ao seu pipeline potenciais terapêuticas contra a dor neuropática.